Apresentação

Link para as apresentações e anais

O Congresso Linked Open Data Brasil é um encontro interdisciplinar das áreas de tecnologia da informação, gestão do conhecimento e inovação.

O LOD Brasil 2014 é realizado na Bela e Santa Catarina – Ilha da Magia – Florianópolis.

O evento vai congregar a comunidade acadêmica, pesquisadores, cientistas de diversas áreas, estudantes de graduação e pós-graduação, representantes da indústria, do comércio e dos governos, como forma de oportunizar debates e aprendizagem.

Agende-se para estar presente em Florianópolis, de 19 a 21 de novembro, e venha para o LOD Brasil 2014!

Entenda o que é LOD

O termo Linked Data (LD) tem despertado interesse acadêmico e organizacional desde a segunda metade da década de 2000, quando foi proposto por Sir. Tim Bernes-Lee (BERNERS-LEE, 2006). Mais do que uma tecnologia, LD refere-se a um estilo de publicar e interligar dados estruturados de diferentes fontes na Web, alterando significativamente a maneira como é publicado e consumido o conhecimento.

A publicação de dados na Web não é uma novidade, mas as abordagens tradicionais não passavam, costumeiramente, da simples disponibilização de dados heterogêneos em formatos como CSV, XML ou páginas HTML, com pouca preocupação com sua integração, ou estrutura semântica. Assim como na web tradicional, formada por links hypertext, a rede de dados em Linked Data é resultante da ligação entre documentos presentes na web. Porém, as ligações são feitas usando links hyperdata com informação expressa em RDF (Resource Description Framework), em que, não somente os documentos podem ser ligados, mas também a informação presente nestes (BERNERS-LEE, 2006).

Por isso, foi delineado um conjunto de regras que fornecem uma receita básica, e ficaram conhecidas como “princípios de Linked Data”:

1.      Deve-se usar URIs (Uniform Resource Identifiers) como nomes para as coisas;

2.      Utilizar HTTP URIs (HyperText Transfer Protocol) de modo que as pessoas possam procurar por esses nomes;

3.      Quando alguém procurar um URI, fornecer informações úteis usando os padrões RDF;

4.      Incluir links para outros URIs, a fim de que se possa descobrir mais coisas.

Enquanto URLs (Uniform Resource Locators) tornaram-se familiares como endereços de documentos e de outros recursos que podem ser localizados na web, URIs fornecem um meio mais genérico para identificar qualquer entidade que existente, seja esse, um documento ou descrição destes documentos (BIZER; HEATH; BERNERS-LEE, 2009). Ao serem identificados com URIs que utilizam o padrão “http://”, os recursos podem ser acessados, por meio do protocolo HTTP, em um processo chamado “dereference”, que visa apresentar ao usuário algum conteúdo referente ao recurso.

O formato utilizado para publicação dos dados é o RDF, que traz uma representação dos dados em grafos genéricos (LASSILA; SWICK, 1998) (MANOLA; E., 2004). O modelo RDF expressa os dados na forma de triplas – sujeito, predicado, objeto – nas quais o sujeito e o objeto são recursos identificados por URIs. Por sua vez, o predicado especifica como o sujeito e o objeto estão relacionados, sendo também representado por uma URI (BRICKLEY; GUHA, 2004).

A união das tecnologias de Linked Data permite que pessoas compartilhem dados de forma tão fácil quanto documentos são atualmente compartilhados na web. Essa facilidade de publicação, em conjunto com iniciativas de abertura de dados, fez surgir uma vasta rede de dados (BIZER; CYGANIAK; GAUS, 2007). A ligação destes dados gerou a denominada nuvem Linked Open Data (LOD), que é parte de um projeto proposto em 2007 por Chris Bizer e Richard Cyganiak, chamado The Linking Open Data Project, com apoio da W3C. Esta nuvem conta com fontes de dados de variadas áreas de conhecimento como: publicações científicas, dados governamentais, dados geográficos, ciências naturais e mídias.

BERNERS-LEE, Tim. Linked Data: Design Issues 2006.

BIZER, Christian; CYGANIAK, Richard; GAUS, Tobias. The RDF book Mashup APIs to a Web of data. 3rd Workshop on Scripting for the Semantic Web (SFSW2007). Innsbruck, Austria 2007.

BIZER, Christian; HEATH, Tom; BERNERS-LEE, Tim. Linked data – The story so far. International Journal on Semantic Web and Information Systems, v. 5, n. 3, p. 22, 2009.

BRICKLEY, D.; GUHA, R. V. RDF Vocabulary Description Language 1.0: RDF Schema 2004.

LASSILA, O.; SWICK, R. R. Resource Description Framework (RDF) Model and Syntax Specification 1998.

MANOLA, F.; E., Miller. RDF Primer W3C Recommendation 2004.